domingo, 29 de maio de 2011

Ferramentas acessórias

Criar a identidade visual envolve uma série de ferramentas auxiliares.

Uma vez definida a logomarca, tem-se cores e efeitos correlatos, que farão parte de uma série de estratégias de marketing visual. Ou seja, a logo definirá qual será o "protagonista" de todas as ferramentas do marketing. Parece inconcebível, mas a verdade é que ainda se observa empresas com logomarcas variadas, o que prejudica a identidade visual como um todo.

Para ser mais específico, podemos dizer que a logo é a "cara" da empresa. E seria confuso para os clientes identificar essa empresa se vissem "caras" diferentes em meios de comunicação diversos. Qual delas seria a empresa? Como entender essas variações?

Portanto, após uma logomarca ser definida, entende-se que esta é única. Incia-se, então, o processo de "apresentá-la".

Dentro de uma empresa, o papel timbrado identifica que aqueles documentos ou, simplesmente papéis ofícios, pertencem e tratam assuntos da mesma. Portanto, fortalecem a imagem, especialmente, no âmbito interno.

Os envelopes, igualmente identificados, transportam muito mais que papéis: identificam a empresa responsável, cuja imagem será visualizada por todos os olhares que se direcionarem para tais. Se os envelopes ultrapassam o ambiente da empresa, significa que o fortalecimento da imagem ocorre também no âmbito externo.

Apesar de não se enquadrarem necessariamente em papelaria, temos ainda alguns instrumentos típicos da era digital, presentes em qualquer organização moderna: wallpaper e background. Como mensurar o impacto de uma logomarca inserida no fundo de todos os computadores associados à empresa? E a redes sociais como Twitter?

Portanto, ignorar a importância da papelaria e derivados num processo de marketing visual é, relativamente, uma fragilidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário